Águia ou galinha ? A escolha é sua...



"Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro para mantê-lo em sua casa". Conseguiu pegar um filhote de águia.
Colocou-o no galinheiro junto com as galinhas. Comia milho e ração própria para as galinhas.
Embora a águia fosse o rei/ rainha de todos os pássaros.
Depois de 5 anos, este homem recebeu a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:
- Este pássaro aí não é uma galinha. É uma águia.
- De fato, disse o camponês. É uma águia. Mas eu a criei com galinha. Ela não é mais uma águia.
Transformou-se em galinha como as outras, apesar das asas de quase três metros de extensão. -
Não - retrucou o naturalista. Ela é e será sempre uma águia. Pois tem um coração de águia. Este coração há fará um dia às alturas.
- Não, não - insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.
Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e desafiando-a disse:
- Já que de fato você é uma águia, já que você pertence aos céu e não a terra, então abra suas asas e voe!
- A águia posou sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.
- O camponês comentou:
- Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha !
- Não - tornou a insistir o naturalista. Ela é uma águia. E uma águia será sempre uma águia.
Vamos experimentar novamente amanhã.
- No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa.
- Sussurrou-lhe: Águia, já que você é uma águia, abra as suas asas e voe !
- Mas quando a águia viu lá embaixo as galinhas, ciscando o chão, pulou e foi para junto delas.
O camponês sorriu e voltou à sua carga:
- Eu lhe havia dito, ela virou galinha !
- Não, respondeu firmemente o naturalista. Ela é águia. possuirá sempre um coração de águia.
Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar.
No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram à águia, levaram-na para fora da cidade, longe das casas dos homens, no alto de uma montanha. O sol nascente dourava os picos das montanhas.
O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não a terra, abra as suas asas e voe!
A águia olhou ao redor. Tremia como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então o naturalista segurou-se firmemente, bem na direção do sol, para que seus olhos pudessem encher-se da claridade solar e da vastidão do horizonte.
Neste momento, ela abriu suas potentes asas, grasnou com o típico kau-kau das águias e ergueu-se soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto, a voar cada vez para mais alto. Voou... voou... até confundir-se com o azul do firmamento".



Eu decidi que quero ser aguia sempre, mas nem sempre é fácil sair da "zona de conforto" que vivemos. Cada dia é uma batalha nova em busca de autoconhecimento e autoafirmação, nem sempre os dias serão alegres e floridos, porém já terá valido a pena só pelo fato de estar viva e em constante aprendizado.

Bjos e um ótimo dia!

5 comentários:



Luci Cardinelli disse...

Oie!!
Eu já conhecia e acho muito bonito. Foi ótimo reler, pois a mensagem para mim é não permitir que as pessoas transformem em galinha a águia que existe em mim :)

beijos e ótimo final de semana!!

KINHA disse...

Olá Andreia

Realmente é mais fácil ser galinha, mas os fortes e atrvidos viram águia.

Venha participar do SORTEIO DE UMA JOIA, criada pela designer Eliana Colognese, caso ainda nao esteja participando.

Bjoooooooooo............
http://amigadamoda.blogspot.com

Renata disse...

Oii Lica!
Sinceramente, essa estória me surpreendeu. Achei que ela nunca fosse voar. Realmente acho que é difícil a gente sair da zona de conforto. Não sei se ainda acho a águia que morou em mim...rsrsrs
Essa é pra pensar...
Beijos, Renata
palpitandoemtudo

Elaine Canha disse...

é mais fácil ser a galinha, mas tenho meus momentos de águia.

Beijos

Fernanda Reali disse...

Adorei. Não conhecia essa fábula, achei ótima!

Beijoooo